SOS para os Crimes Cibernéticos

Construindo confiança entre os consumidores face às ameaças on-line

O crescente uso da Internet e de dispositivos conectados coloca as pessoas em risco de tornarem-se alvos de criminosos e de crimes cibernéticos.

Mas o quão preocupadas as pessoas estão com as ameaças online? Elas confiam na sua capacidade de se proteger? As empresas têm um papel a exercer na proteção dos seus clientes contra as ameaças cibernéticas e suas consequências? E ao fazê-lo, elas conseguirão construir relacionamentos mais sólidos e aumentar a confiança, fidelidade, e engajamento?

Nossa pesquisa mais recente cobriu 12 mercados e 13.000 pessoas fornecem as respostas.

Destaques da Pesquisa

Há um alto nível de preocupação

A preocupação e o nível de conscientização dos consumidores com relação aos crimes cibernéticos são altos e estão em crescimento. Eles já superam as outras formas de crimes, incluindo àqueles de natureza violenta e contra a propriedade, e a criminalidade associada a veículos.

O nível de confiança é baixo

Os consumidores não confiam na sua capacidade de impedir os crimes cibernéticos, detectar se eles correm algum risco, ou remediar as consequências caso sejam vítima de um crime.

De Fornecedoras a Apoiadoras

Há uma oportunidade para que as empresas ajudem seus clientes e possibilitem que eles protejam melhor seus dados e identidade, oferecendo suporte para solucionar o problema caso sofram um crime cibernético.

Incrementar a percepção da marca

As empresas que ajudam seus clientes a lidar com crimes cibernéticos são vistas de forma mais positiva e usufruem uma melhor percepção da sua marca

Criando um diferencial

É mais provável que os clientes selecionem um serviço, incluindo seguros, cartões de crédito ou contratos de serviços de telefonia móvel, se serviços de segurança cibernética forem incluídos.